terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

EPARREI IANSÃ! SE LIGA NESSE BATUQUE!!

 
SIM, as crenças estão sempre em alta quando o assunto é tentar resolver problemas em tempo recorde. Simpatias, benzeduras, promessas, sacrifícios...será que tudo é válido? Será que funciona?

Eu acredito, e muito, nos milagres da religião e acreditem, mesmo que eu tenha a minha religião formada (ou imposta pelo catolicismo) freqüentei / visitei / explorei as mais diversas.

Batuque ou o culto aos Orixás, como é o correto a se falar, está presente em minha vida, pois minha mãe é adepta dessa religião. Não freqüento, mas respeito tanto quanto as demais religiões que pude conhecer um pouquinho.

Nunca fiz mandinga...desejei o mal de alguém (quer dizer, da boca pra fora não conta, né rsrsrs), mas já me vi em cada situação que me agarrei desde aos pés de Cristo até as saias rodadas das pomba giras.

Levo pra mim que a fé é o que realmente importa. Se tu fores fazer um batuque, uma simpatia ou prometer três pulinhos tens que realmente acreditar que vai dar certo; que tuas preces serão alcançadas; que as coisas boas que almejas virão e que as ruins se afastarão.

Independente da crença Deus é único.

Ele está representado em todas as formas e sempre vai nos ouvir, acalentar nossos corações e nos conduzir não no caminho que queremos, mas no caminho que será o melhor a seguir...mesmo que este seja escuro ou cheio de obstáculos.

As crenças, no batuque, pregam que cada um de nós somos regidos por um Orixá que comanda a nossa cabeça e o nosso corpo. Nossos atos seguem de um lado e nossos pensamentos, as vezes, de outro.


Os rituais de batuque pregam que seu iniciado não pode saber que foi possuído pelo seu Orixá sob pena de ficar louco. Esses rituais são próprios e originais. Para homenagear os Orixás são realizadas festas com vasta comilança, alegria, danças e cantorias.

O batuque faz parte da nossa cultura, está tão presente quanto as demais religiões, pois vem dos ancestrais. E não é mais considerada religião de ex escravos, de negros, de pobres...é uma religião nobre e que está ganhando cada vez mais adeptos.

NÃO sei por que, mas nós (Rio Grande do Sul) somos o estado que mais tem pessoas que se declaram praticantes do Candomblé e da Umbanda. Fiquei surpreso ao saber que os gaúchos ultrapassaram os baianos no culto aos orixás. Essa informação pode estar desatualizada, não encontrei esses parâmetros no CENSO de 2010, mas mesmo assim é uma noticia intrigante, já que o “batuque” sempre foi rotulo de baianos, negros ou pobres.

Como eu tive uma formação católica bastante forte, não via com bons olhos o candomblé e suas derivações, associava ao sacrifício de animais, a magia negra, ao ocultismo na suas piores faces. Com o passar dos anos meu preconceito foi dando lugar a curiosidade e mais tarde ao respeito por esse tipo de religião.

Muito mais como expressão cultural do que religiosa acho o culto aos orixás fantasticamente intrigante e instigante. Quem nunca foi numa festa de terreiro com os tamboreiros puxando as rodas e pontos não pode saber nem imaginar a ‘vibe’ e a energia que emanam dessas manifestações, é algo surpreendente de verdade!

Sei que existe grandes diferenças entre a umbanda, nação, candomblé, batuque, etc. Como um ignorante na área me dou ao luxo de entender tudo isso quase como uma coisa só, sem querer ofender a nenhuma das ‘facções’, eu sei que existe também um lado bem ‘pesado’ desses cultos, uma parte ruim que me estranha muito.

Um dia ainda vou me aprofundar nesses estudos por que tenho vontade de escrever um romance com esse pano de fundo, mas para que isso aconteça ainda tenho muito que me aprofundar nesse mundo vasto de significados. Sem a pretensão e a magia das obras de um Jorge Amado, mas com a visão mais sulista da religião e suas implicações.

E você? Conhece a umbanda, o candomblé? Freqüenta? Tem medo? Tem curiosidade? - Joga a pipoca, acende a vela e comenta nosso tópico!

Até a próxima semana!

6 comentários:

Sandra Helena* disse...

É linda a minha religião (sou a mãe da Ana Carolina).

A força, a vibração e a beleza dos rituais é contar atravéz do som doa atabaques e das danças as histórias DAQUELES que não caminham mais entre nós, mas se faz presente no coração daquele possui fé!

Claro que existe ''facções'' que cultuam o ''lado negro da força'' mas cada um sabe as consequencias que pode suportar!


Eparrei minha Grande Mãe Iansã, sopre seus ventos para afastar todo o mal que possa estar no caminho destes 2 blogueiros!

Diego Camargo Borba disse...

Vou dar minha opinião se prometerem não fazer nenhuma reza ou "trabalho" para mim. Brincadeira.

No fundo, enchergando pela lógica, religião é uma bengala. Por quê? Porque o ser humano precisa de imagens e de símbolos para se guiar. Aí vocês querem saber se tenho religião ou sou ateu por causa da minha opinião. Lhes respondo que sim, tenho. E sofri muito preconceito nas escolas que estudei, por desconhecimento dela. Sou espírita Kardecista (terminologia que por nós não era aceita, pois espiritismo é só um e o Candonblé e Umbanda, que chamam de espiritismo, na verdade é ESPIRITUALISMO, que não diminui nem engrandesce, é apenas a terminologia correta e que merece seu devido respito. Mas hoje já aceitamos justamente para não haver confusão, e além do mais, as religiões servem para que consigamos conviver melhor em sociedade, não é mesmo?).
Portanto vocês já imaginam o que eu escutava. E isso que meu avô e meu pai são conhecidíssimos e respeitados em Alvorada por seus trabalhos sociais através do espiritismo.

Bom, o que isso tem haver com a proposta do post? Nada. Mas venho através dessa humilde opinião dizer que o grande problema de todas as religiões, TODAS, (e isso que sou espírita desde quando nasci) é que são sectárias e acham que somente suas visões são as corretas, desreipeitando a opinião alheia. Sofri muito (buling) com isso e fiz pessoas sofrerem. Só depois de velho (hehe) é que passei a respeitar a religião alheia, e consequentemente ser respeitado.

Reclamações: www.ferronaboneca1985.blogspot.com

Diego Camargo Borba disse...

Diga-se de passagem, as pessoas criticam dizendo que o espiritismo e igual ao candomblé e umbanda, porém, quem tiver boa vontade e calma para analisar, umbanda está muito mais próxima da religião catolica, pois um é tradução do outro. Seus santos, seus feriados, seus rituais. Sem crítica pessoal, basta olhar. Assim como o espiritismo está mais próximo dos evangélicos, tirando a parte financeira, pois todas as sociedade espíritas tem dificuldades financeiras e sabemos o poder de aquisição das igrejas evangélicas mais famosas (é um fato, não uma crítica). Claro que é uma comparação generalista e grosseira, analisando pontos centrais. Mas enfim,

reclamações: www.ferronaboneca1985.blogspot.com

Carol X. disse...

Bom, religião e política não se discutem, né? Mentira, é isso que move a sociedade! E o "batuque" tá na vida de todo mundo, nem que seja "vendo" o despacho na esquina! Eu sou católica "de formação", e respeito as demais religiões. Assim como o João, eu sou curiosa, já fui ao centro espírita e tb ja particpei de sessões de umbanda "linha branca". Confesso que me decepcionei...calma, eu explico, a decepção veio do fato de que nada se resolve por esta ou aquela religião, e sim pela FÉ que a criatura tem, dentro de cada um de nós é que "mora a religião". O que eu não suporto é o fanatismo e imposição, é preciso haver respeito com relação a isso, pq assim como eu acredito que um "batuque" dá certo, posso tb não acreditar! Eu já coloquei barquinho na praia pra Iemanjá e na época deu certo, mas o que acredito é que se eu não quiser, não tiver fé, ela não vai me "ajudar"...me mantenho firme no catolicismo, sem entrar em maiores detalhes e méritos, simplesmente pq é onde eu me sinto bem, mas demais religiões me fascinam pelo "poder" que têm sobre as pessoas!
E não poderia deixar de comentar que tem mto ateu ai dizendo: "Deus me livre"...hahaha

Rodrigo Müller disse...

Eu já conheci várias religiões, já frequentei vários lugares, mas ainda não tenho nada definido, nada que sigo a ferro e fogo. E acho que assim é até melhor :)

O candomblé é lindo, mas não é a minha praia... Já a umbanda me fez mais a cabeça, não a ponto de me batizar, de forma que sempre penso e lembro dos ensinamentos que aprendi.

Todas as religiões tem seus lados positivos e negativos, de forma que acredito que seja mais tranquilo para nós aproveitarmos o que cada uma oferece de melhor, como o contato com a natureza, com uma força maior, e com a nossa própria energia, porque nós temos poder.

É o que penso.

:)

Giza disse...

tambem vou dar minha opinião hehehe
pelo sim e pelo não hehehe
começando :) pelo sim devemos acreditar que DEUS existe e talves a macumba pegue em alguem é só acreditar hehehe somos nós os culpados de tudo q acontece conosco
e o NÃO :( jamais precisaremos seguir religião nehuma para encontrar COM DEUS
faça o bem se esperar recompensa
ame seu proximo como a si mesmo
mais jamais atire perolas aos porcos hehehehe bjus giza

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...