sexta-feira, 24 de setembro de 2010

QUEM QUER SER UM BBB?


                                       ELA SIM!

 SIM, estão abertas as inscrições para o BBB 11, e de santos e loucos o BBB não tem poucos, tem muitos (risos).

Também pudera...ninguém para diante de uma televisão pra assistir dicas de boas maneiras e de como conviver em sociedade. 

O povo quer baixaria, choradeira, agarração, edredon e muito mais.

Até que preço as pessoas estariam dispostas a pagar pra entrar num reality show dessa grandeza? Será, realmente, que vale tudo pra se expor?

Querendo ou não é uma total invasão...são milhares de pessoas sabendo que tu tem um bom caráter; uma má reputação; que tu faz de conta; que tu é manipulador e manipulado...

Não saberia explicitar, ao certo, o que eu faria para conseguir entrar na casa mais cobiçada da televisão.
Seria eu mesma ou omitiria alguns defeitos/qualidades?!

Talvez fosse mais ousada ou abrisse minha vergonha (desacreditada por muitos) para que as pessoas que duvidam percebessem que, por trás da minha personagem forte, se esconde uma manteiga light bem derretidinha...

Sensacionalismo nada barato que faz com que milhões de mentes curiosas se deleitem com as mais pitorescas situações, festas, provas...

Prova de resistência é o que precisamos pra aturar esse tipo de programação.

É a famosa (in)utilidade pública, mas, confesso, que prefiro assistir ao Pedro Bial do que as propagandas partidárias (tem cada figura).

Tive uma ideia!!!

Que tal confinar os candidatos em uma casa, fazendo com que eles vivam/sobrevivam em seus próprios limites?

A rede Globo bateria todos os recordes de audiência.

Quer mais baixaria que propaganda política?

ELE NÃO!

NÃO tenho uma opinião linear sobre o tema Big Brother Brasil.

Sei que é mais fácil sair apedrejando, pois nós como pretensos intelectuais da blogosfera temos que primar pelo o conteúdo e não pela aparência. Não fica nem bem pra nossa imagem essa ênfase ao BBB.

Conceitos a parte, infundados, ou não, eu tenho SIM uma certa curiosidade sobre essa experiência com seres-humanos. Gosto de ver como os indivíduos reagem as mais adversas situações em que são submetidos. Ver como certas paranóias sempre se desenvolvem de onde menos se espera. Gosto de ver, mesmo que isso também me incomode, até que ponto as pessoas são capazes de ir, por cima de que são capazes de passar.

Acredito na máxima que diz que “pode-se enganar muita gente por pouco tempo, pode-se enganar pouca gente por muito tempo, mas não se pode enganar todo mundo o tempo todo” – e é mais ou menos isso que me fascina. 

Concordo que a formula já esta se desgastando e os personagens estão se repetindo, mas se a escolha dos participantes for interessante, e novos elementos forem adicionados, o programa sempre ganhará novo fôlego.

Geralmente não me identifico com ninguém, [aliviado - mode ON] ufa! Se algum ganha minha simpatia, é certo que sairá em breve da casa. Se algum ganha meu asco, certamente esse será o grande vencedor. Em geral essa dicotomia me deixa tranqüilo, me sinto menos manipulado pela força motriz da mídia e da persuasiva edição.

A verdade é que ser um BBB abre infinitas possibilidades na vida da pessoa, claro, se a intenção for permanecer no ramo artístico, e um impulso desse não é desprezível. O programa, no entanto é como uma catapulta, lança com força as pessoas ao estrelato, mas caso essa pessoa não atinja a orbita, a queda é imperiosa. O estigma de ser um ex-BBB é pesado, quase ultrajante, um adjetivo definitivamente pejorativo.

Já pensei vagamente em um dia me inscrever e declinei (meu senso de realidade é rápido). Não sei se sou tão pirotécnico a ponto de me atirar nessa fogueira das vaidades, ou não sou tão corajoso a esse ponto! 

Amadureço a idéia de jogar a Carol (companheira do BLOG) nessa jornada! Acredito que ela tenha todos os atributos necessários para tanto. Claro, meu apoio vai custar no mínimo 5% do premio auferido!! [avareza – mode ON]2.

Até a próxima!!

6 comentários:

Diego Camargo Borba disse...

Eles são pagos semanalmente e bem alimentados (ou tem alguém que acha que uma emissora faria algo que pudesse correr o risco de ser processado por ter matado alguém com alguma prova ou por não ter dado comida?). É um programa besta feito para preencher a lacuna deixada pela falta de programação em janeiro, fevereiro e março. Mas não perco um. hehe.

Marcio Nicolau disse...

O que acho bacana neste blogue aqui é que, por se tratar de um blogue feito a quatro mãos, ele propicia uma relativização dos tópicos abordados. Darei, a seguir, o meu ponto de vista para acrescentar a discussão.

Primeiro, devo dizer que discordo da idéia de que o público queira assistir a baixaria. Ocorre, na verdade, um massacre, a veiculação ostensiva de uma programação com conteúdo nocivo e/ou vazio. E a televisão é o lazer do brasileiro, que ainda não pode frequentar o cinema e não tem o hábito da leitura.

Por outro lado, penso que não se deve adotar uma postura "politicamente correta" e, como dito, "apedrejar" os reality shows de TV (sobretudo se continuarmos assistindo e nos submentendo a eles) . No entanto, já tivemos suficiente informação a respeito desta fórmula importada de entretenimento e temos condição suficiente para afirmar que se trata apenas de pseudo laboratório humano com fins meramente comerciais. E não precisamos de mais celebridades instantaneas, convenhamos: chega. Queremos gente célebre no vídeo!

Indentifico-me no trecho em que você, João, revela a tua dicotomia e a impressão de que você seja "menos manipulado pela força motriz da mídia e da persuasiva edição." Também costumo nadar contra a corrente, meu caro, pra exercitar (o cérebro). E entre me lançar ou lançar combustível a fogueira das vaidades, prefiro tentar apagar o incêndio (mesmo com a minha chuva rala)

Um abraço aos dois e espero ter contribuído.

Saulo Taveira disse...

Essa semana uma amiga me perguntou se eu não tinha vontade de me inscrever, por ser ator. Tive que responder que "aquilo" não é arte. Ser lançado ao estrelato não é fazer arte. Criar uma personagem com esse fim, pra mim, é o fim. Não gosto, no entanto, temos a Juliana Alves que está se mostrando uma boa atriz, ex bbb.
Bem, relativizar é preciso, mas pra mim não serve. Não me inscrevo, não assisto.

Até a próxima semana.

• || Rai || • disse...

Eu gosto de BBB, é legal XD

Ah qual é gente, ver coisas inúteis na televisão também diverte, haha.
Se bem que o CQC é inteligente e diverte, mas enfim, isso já é outra história, rs.

Mariléa ... disse...

Eu já me escrevi, mandei até vídeo, isso já deve fazer uns 4 anos atrás...que loucura!!!!
Minha idéia sobre o BBB era só entrar pela grana, claro e depois por ver tantas pessoas se dando bem, claro que não estou me comparando a nenhuma das belas mulheres que entraram e se deram bem, mas por saber que é um espaço em que as pessoas muitas vezes mostram o que são de verdade, seus talentos, enfim as pessoas mostram seu lado bom e outras vezes até seu lado mal...
Hoje já acho que o BBB fugiu um pouco do foco, já buscam direto pessoas bem sucedidas, malhadas e que não precisam de muito para mostrar seus talentos. Mas sorte não é pra todos, existem aqueles que ficam e brilham e outros que se apagam logo após a saída do programa, ou seja, tiveram apenas seus 15 minutos de FAMA...
Agora é esperar para ver se vamos ter uma outra edição...
Bj

Cris França disse...

no começo do programa, meus amigos viviam falando há vou te inscrever, vc ganha fácil, mas depois de ver como era...
urg! jamais, é coisa que eu nem assinto, não vale nem um milhão para mim. bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...