domingo, 15 de maio de 2011

ADOÇÃO - LAÇOS MAIS FORTES QUE O SANGUE!

Dia 25 de maio é dia nacional da adoção, então trazemos o assunto à pauta.
FILHOS ADOTIVOS, os filhos do coração!!
 SIM, tenho vontade de adotar filhos. E por que não teria?

Parto do princípio de que fui criada pelo meu tio avô desde os dois anos de idade até os 17.

Tive a presença materna da minha mãe biológica e da ‘mãe de coração’, mas minha criação foi mais voltada a parte paterna (isso quase explica um pouco meu jeito, rsrs)

Alguns menos entendidos no assunto acham que a adoção tem mais contras do que prós. Temem que o ‘filho de coração’ tenha em seus genes heranças da família biológica e não se adapte perfeitamente as regras da nova família.

Existem casos em que a atual família insiste por saber referência da família anterior e acaba ficando insegura e temerosa e isso os faz retardar o desejo da ação e até mesmo descartar essa possibilidade.

Também tem a questão burocrática que envolve todo esse processo da adoção. Existem filas de espera que duram mais de 5,6 anos para que chamem o casal cadastrado. As exigências devem ser seguidas à risca, mas a espera é tortuosa.

A parte que menos me agrada, no processo de adoção, é a da preferência que alguns casais tem em querer adotar recém nascidos, do sexo feminino , de cor branca e olhos claro (em alguns casos).

Acredito que seja mais fácil fazer um bebê adaptar-se a nova família do que uma criança que já compreende.

É de suma importância que a criança saiba que ela filha escolhida com os olhos do coração porque esconder sua origem é frustrante e traumatizante.

Não se deve escolher sexo, raça, coloração de olhos ou qualquer outra parte estética, pois a criança não é uma fruta exposta que todos vão querer apertar pra saber se está madura e vão levar a que for mais viçosa. A criança que está à procura de uma família não está escolhendo o pai e a mãe perfeitos, ela está querendo uma família para dar e receber amor. Então não devemos, jamais, tratá-las como objetos.

Incentivo a adoção, não somente para casais que não podem ter filhos biológicos, mas pra todo e qualquer casal (e isso inclui casais do mesmo sexo, sim) que tenham condições de criar e, principalmente, que tenham muito amor para dar.

Não serei hipócrita em dizer que um filho de casais do mesmo sexo não sofrerá certas discriminações, mas ainda acredito num futuro menos ignorante e mais humano. Onde o que vai interessar é o afeto e não a forma com que se consegue ele.

A adoção é uma das mais lindas forma de se amar o próximo e deixá-lo fazer parte da nossa vida.
NÃO nego que sempre fui louco para ter filhos. A ideia de um “chaveiro” meu correndo pelo mundo sempre me foi tentadoral!

Com o passar dos anos a vontade de ter um filho não diminuiu, mas a maturidade me fez ponderar sobre um filho biológico ou um filho por adoção. Não foi fácil reconhecer que eu desejava o filho biológico por orgulho, para me enxergar geneticamente nele, para ver quais traços físicos meus sairiam no rebento, para tentar me perpetuar no mundo. Mas como disse, era orgulho e egoísmo.

Há um sem numero de crianças precisando tanto de uma chance para ser feliz, que optar por um filho biológico só por vaidade seria no mínimo pretencioso e de mau-gosto! Então como escalada e parte de uma trajetória minha, em meu coração a vontade de ter um ‘filho do coração’ me sorri amistosamente. Ainda penso também nesse filho biológico, então por que não os dois?  O bom de ser homem em relação a paternidade é que nossa idade não influencia muito, a decisão pelo momento ideal pode ser postergada por anos a fio...

Hoje no Brasil existe o Cadastro Nacional de Adoção (CNA), uma tentativa, que ainda engatinha, de organizar melhor essa loucura que é a adoção em nosso país.

Não é novidade para ninguém que existem centenas de crianças sem lar, e mesmo que pareça uma contradição, há também centenas de famílias a procura de filhos adotivos. Além da burocracia escandalosa, a predileção por meninas brancas e recém nascidas, dificulta o alinhamento da variáveis.

Não podemos ser levianos, querendo em prol de uma agilidade maior, sacrificar uma escolha criteriosa de famílias adotivas. Não se pode trocar um abrigo por um lar ainda pior que este. Ficamos mesmo num beco perigoso e quase sem saída, mas acredito que com um pouco de vontade politica, tecnologia e comprometimento o CNA em breve conseguirá ajustar um pouco a disparidade entre pais pretendentes e crianças disponíveis.

A moda 'do bem' entre as grandes celebridades americanas é justamente a adoção! Não acho que a adaptação seja fácil, mas garanto que essas crianças não estão reclamando! Está certo que são gotas tentando apagar um incêndio. Se é para diminuir a culpa, se é para ‘causar’ na mídia ou se é sincero – isso não sei!! 
 
E PARA VOCÊS?
COMO SOA A ADOÇÃO???

9 comentários:

Aleatoriamente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aleatoriamente disse...

Sabe João? Esse é um belo ato.
Fui menina de rua, desde os seis .
Fugi do orfanato nessa idade, preferi a rua que o lugar em questão.
(Crianças não tentem imitar isso por favor!).
Aprendi lá muitas coisas, que me ensinaram a crescer como ser humano.

Aos 14, num banco de praça me veio um anjo, chamado D. Joana.
Essa senhora me observava á tempos, palavras dela.

Perguntou se queria trabalhar com ela , sendo sua dama de companhia.
Perguntei-lhe seu eu iria poder estudar.
Ela disse: sim minha filha.

Fui.
Tive essa bênção durante dois anos.
Depois ela foi para o céu e a rotina antiga voltou.
Mas esta é uma longa história.

Criei meu blog para contar de mim.
Neste ano em janeiro fui adotada e tenho 17 anos.
Minha mãe e pai são meus melhores presentes.
Tenho uma família linda.

Um dia pretendo ter meus filhos, mas adotar outras crianças.
Não importa se eu não souber seus genes .
Acho que a criação conta muito.
Onde há amor, o alicerce está fincado e é base.
Belo texto amigo.

Beijinho
Fernanda

david era uma vez... disse...

João e Ana....
Hoje, vejo diferente do que via a 20 anos atrás, tive 3 filhos biológicos, hoje penso que todos os casais devem ter um filho biológico e se puderem ter mais, que adotem o quanto puderem, tipo usar os 3 Rs do plástico (Reduzir, Reutilizar, Reciclar). Além de terem os filhos desejados, ajudam as crianças que necessitam de um lar e ajudam tambem a conter a explosão demográfica! Tudo fica tão mais lindo! Estou sendo muito radical?

Beijos meninos!!

DENTRO E FORA DÁGUA disse...

A adoção é um dos gestos mais lindos que alguem pode fazer,Amar alguem que não saiu de você e assim mesmo você tem o mesmo amor,se não maior que teria por um filho seu isso é admiravel.Quero ter 2 filhos e se tiver condição adotar mais 1.

Mariléa... disse...

Acho que Adoção apesar de ser um ato muito bonito, é também muito delicado e complicado para ambas as partes. Eu confesso que já tive muita vontade de ter um filho, mas ao mesmo tempo fico pensando numa série de coisas e desisto. Mas eu não descartaria a possível adoção de um bebê se por acaso não pudesse ser mãe biológica.
Bjos

Anônimo disse...

Um GRANDIOSO GESTO DE AMOR!!!!

@augustogael disse...

Não cogito a ideia de adotar um filho. Na verdade, não me vejo um pai de família. Acho que não nasci pra isso.

Mas acho um gesto lindo. Pra quem tiver amor sobrando então...

Parabéns pelo blog, meninos! Beijim!

Anônimo disse...

BEM LEGAL ESSE ASUNTO. EU TAMBEM FUI CRIADO PELA MINHA AVÓ DESDE OS 2 MESES DE IDADE ATE UNS 18.MAS ATE HOJE ME DOU BEM COM MINHA MAE E PAI (SEPARADOS).E ANA TU FALOU QUE FOI CRIADA PELO TEU TIO AVÔ, MAS TU CHAMAVA ELE DE PAI.COMO EU CHAMO MINHA VÓ DE MAE.ME DEU UMA SAUDADE DO TIO JOAO." ME DA UM GOL ".
UM ABRAÇO.
ADMIRIDOR SECRETO.

Anônimo disse...

SO RETIFICANDO A FRASE ACIMA, NÃO É " ME DA UM GOL " E SIM " ME DA UM GÓL".
ADIMIRADOR.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...